ouça esse livro !


O processo criativo envolve trocas, intertextualidades, uma coisa inspirando a outra. Sempre foi assim. Quando compus as canções dA volta do filho pródigo meditei sobre como uma parábola de Jesus tornou-se um quadro de Rembrandt, e esse, por sua vez, o belo livro de Nouwen e, por fim, tudo isso, um musical com a linguagem da música brasileira composta e interpretada por mim e produzida pelo genial João Alexandre. Ninguém cria num vácuo criativo - " todo mundo imitou todo mundo", é meu refrão em "discipulado".

Ler C. S. Lewis sempre foi um enorme desafio e um grande prazer. Sua erudição não facilita as coisas, mas também não nos deixa à míngua. Aos perseverantes. nutrição espiritual sólida, substancial, permanente. Foi assim com Os quatro amores, uma das primeiras obras de Lewis que eu li, ainda na adolescência. É claro que não trazia o necessário estofo existencial e espiritual para dar conta da tarefa. Mas trechos inteiros me marcaram, como esses:


" O que pode assemelhar-se menos a qualquer coisa que possamos conceber a respeito da vida de Deus do que o amor-Necessidade? Nada lhe falta, mas nosso amor-Necessidade, conforme discernido por Platão, é ―filho da pobreza‖. Ele é o reflexo correto de nossa natureza real sobre o consciente. No momento em que tomamos plena consciência descobrimos a solidão. Temos necessidade de outros no plano físico, emocional e intelectual; precisamos deles se devemos conhecer algo, até a nós mesmos.


Eu estava pretendendo escrever alguns elogios fáceis sobre o primeiro tipo de amor, depredando o segundo. E muito do que esperava escrever me parece ainda verdadeiro.

Continuo pensando que se tudo o que entendemos por amor é a ânsia de sermos amados, nossa condição é deplorável. " ( grifo meu )


Os quatro amores, na verdade, são dois: amor-necessidade e amor-doação. Mas isso explorarei num outro post.


...


O meu álbum foi sendo composto, agora entendo, desde que li e reli Lewis e fui vivendo minha vida pequena e humana, demasiadamente humana, desde que a adolescência amplificou-me o sentido de estar no mundo, o tornar-se pessoa ( Carl Rogers ). A gente leva a vida inteira para compor uma canção - essa é a verdade. Ou um álbum. Essa densidade existencial procurei registrar nesse projeto, um projeto de ( uma ) vida, por assim dizer. Uma vida que tem experimentado a Graça. Uma vida que sabe que todo amor vem do Amor. Storge ( afeição ), Philia ( amizade ). Eros ( paixão ) - nossos amores-necessidades, humanos e precários, precisam e podem ser redimidos pelo Ágape ( caridade ) divino, o amor-doação de Deus por nós. Enfim, há muito de Lewis nesse projeto. Indireta e diretamente. Então, ouça esse livro !


~GB.



0 visualização